13.10.14

Banho de multidão, com sabor amazónico


O passado Sábado culminou um processo de largas semanas, com dúvidas existências profundas, decisões a ser tomadas, consensos custosos e, para terminar, muito trabalho braçal. Refiro-me, naturalmente, à palestra e inauguração da instalação multimedia SOBRE | VIVER, no Museu de História Natural e da Ciência de Lisboa. No total mais de 15 pessoas estiveram envolvidas, numa contribuição anónima mas nem por isso menos importante, que incluiu a equipa do Museu, o design, colegas da Nomad e amigos que, de uma forma ou de outra, nos apoiaram.

E, cereja em cima do bolo, este evento contou com o ingrediente mais especial e difícil de prever: público! Diria até que foi um banho de multidão: num dia de Outono cinzento, perto de 300 pessoas na Sala da Baleia, para a palestra, e na Sala da Cortiça, para a exposição. E não posso negar que, perante uma audiência destas, a alma se me enche e tudo passa a valer a pena! Porque desde o início o projecto de travessia por via fluvial da Amazónia teve como objectivo a partilha, a divulgação da realidade que encontrámos, e porque transmitir as experiências vividas as ajuda a perpetuar e amplificar, alcançando pessoas que, por diferentes motivos, não tiveram a oportunidade de lá estar mas que nem por isso são menos sensíveis à riqueza e variedade cultural que o globo nos tem para mostrar...




Ao longo dos últimos meses várias pessoas na Nomad têm também investido tempo e recursos para que este tipo de eventos se multiplique porque acreditamos ser uma excelente oportunidade de contacto pessoal entre viajantes, amantes de viagens, fotógrafos, videógrafos, documentaristas, entre muitos outros. Tivemos já Leopoldo Faria, acerca do Paquistão, Jorge Vassallo, sobre Angkor Wat, Filipe Morato Gomes, a propósito do Irão, e eu próprio, revendo o trabalho na National Geographic. Agora, pela primeira vez, apresentámo-nos em nome colectivo, juntando 4 líderes que, improvavelmente, se conseguiram reunir do outro lado do mundo, tendo como quartel-general um bar em La Paz, profeticamente denominado Sol y Luna - astros que, imaginem só,  não mais nos abandonaram, acompanhando-nos diaria e fielmente a longo de um mês e de largos milhares de quilómetros na selva amazónica da Bolívia e Brasil!

A instalação fotográfica, essa, estará patente ao público até 11 de Janeiro de 2015. Para todos os que não tiveram oportunidade de dizer "Presente!" no Sábado - ou aqueles que prefiram uma sala mais intimista para apreciar as imagens expostas - aqui reeitero o convite. Entretanto estarei absorto nos próximos capítulos deste projecto: o livro sobre a travessia do Beni, em co-autoria com o Eduardo Madeira; um slideshow multimedia sobre o Amazonas, feito num barco com 200 redes de dormir e que já naufragou 3 vezes, sobre o qual eu e o Tiago iremos preparar um cocktail de conteúdos; e ainda a curta documental que o Tiago está a preparar para breve...

Stay tunned! E, uma vez mais, obrigado a todos os que, presentes ou ausentes, me acompanham neste percurso...


fotos: © Pedro Gonçalves

Sem comentários:

Publicar um comentário