10.7.15

Nas entranhas da Terra


Apesar de ter já viajado por quatro continentes, ao longo de mais de 25 anos, poucos locais me impressionaram tanto como aquele que aqui hoje partilho. Verdadeira janela para as entranhas da Terra, presenteia o visitante com cambiantes coloridos que desafiam a imaginação. À medida que as pupilas se dilatam, habituando o olhar à penumbra que aqui impera, vamos ganhando vislumbres das portentosas forças que estiveram em jogo na formação deste fenómeno vulcânico.




Estamos, como não poderia deixar de ser, no meu arquipélago preferido: Açores. Em reportagem para as Crónicas da Atlântida, que têm por destino, durante este mês de Julho, a ilha Terceira. E o espectáculo decorre non-stop, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano. Tendo um fraco fotográfico por padrões e abstratos, aqui sinto-me no paraíso. Uma interminável procissão de verdes, amarelos, laranjas, púrpuras, azuis, castanhos, vermelhos e, claro, negros, pintam o cenário irregular que se vai contorcendo pelo cone vulcânico abaixo, revelando sempre novos recantos e diferentes perspectivas. Rochas, musgos, plantas e fungos juntam-se ao cocktail cromático, numa quase overdose visual.

 
Bem-vindos ao Algar do Carvão...!




Sem comentários:

Publicar um comentário