14.7.14

Fadas e princesas, versão eslovaca



Em conversa com algumas das pessoas que me acompanharão no grupo da viagem à Polónia e Eslováquia, já no próximo mês, e revendo o percurso, não pude deixar de sorrir ao recordar alguns espaços que me remetem para o imaginário dos contos de fadas. Castelos imponentes, de torres alvas, guardando princesas enclausuradas que suspiram por príncipes cavalheirescos; cidades de bonecas, com as suas fachadas multicolores e praças onde reis e raínhas caminharam; florestas densas e impenetráveis, capazes de ocultar a mais perversa das bruxas más, preparando um feitiço digno de constar em fábulas por séculos vindouros!

Dois dos locais que visitaremos em chão eslovaco são classificados como Património da Humanidade pela UNESCO, e por boas razões: Bardejov é um exemplo da arquitectura renascentista conservada quase intacta até aos nossos dias e a fortaleza Spišský Hrad um ícone da paisagem medieval, recordação dos tempos agitados que esta região da Europa viveu ao longo da sua existência (e até há bem pouco tempo, infelizmente).





Bardejov, para além da praça do mercado, cerne de toda a cidade, tem a catedral de Santo Egídio, cuja fundação remonta ao séc. XIII, e de cuja torre se consegue uma vista absolutamente deslumbrante da sua malha urbana. Com um interior riquissimo, um número impressionante de tripticos e a imponência característica de um templo carregado de história, merece uma visita. Bardejov tem, para além disso, uma caracaterística que, imagino, nada terá contribuído para a classificação: é a capital dos gelados!!! A cada esquina há uma gelataria, cada uma melhor que a anterior, e a quantidade de turistas e habitantes locais a consumir gelados gigantescos e de aspecto delicioso tem um motivo: cada bola custa... 15 cêntimos de €!!! Zmerzlina, diz-se em eslovaco!


Um pouco mais a Oeste, o castelo Spišský Hrad - é tão difícil de pronunciar como de ler, mas com prática chega-se lá! - assoma na paisagem com uma presença monolítica, incontornável, inexpugnável. Da mesma época que Bardejov, tem uma área total que os eslovacos afirmam chegar aos 40 ha, e parece feito para um filme da Idade Média: erguido sobre um morro calcáreo, tem uma primeira muralha que desce a encosta até aos campos agrícolas circundantes, encimado por torreões brancos, e uma segunda muralha, mais alta e mais robusta...! Percorrê-lo toma um bom par de horas, daquelas gostosas, tiradas ao quotidiano banal e comezinho. Ao fim do dia, com o sol a extinguir-se à distância, os Tatras ali bem perto, encimados por cumes agrestes, o vento de assobia nas muralhas, esburacadas sabe-se lá em que batalha. A fantasia apodera-se de nós, e surgem nas sombras as princesas que ali terão vivido, desejando a chegada do seu príncipe, real ou imaginário...


Sem comentários:

Publicar um comentário