1.5.15

Crónicas da Atlântida


Açores. Uma foto por dia. Uma ilha por mês. Da maior para a mais pequena. Um arquipélago, visitado de Leste para Oeste. Nove meses de fotografia, numa lenta génese de que resultarão precisamente 276 fotos.

Embarquem nesta viagem em: www.cronicasdaatlantida.org

O mote está dado. E o dia chegou. 1 de Maio. Dia do Trabalhador. Pareceu-me uma bela data para inaugurar o projecto Crónicas da Atlântida, cuja génese remonta a 2013 e que se torna a concretização de um sonho de longa data: fotografar o quotidiano de todas as ilhas dos Açores, como viajante apaixonado pelo arquipélago, sem constrangimentos editoriais ou comerciais, permitindo-me mergulhar a fundo no dia-a-dia destes rochedos maravilhosos, pelos quais me perdi de amores há 25 anos!

Um projecto fotojornalístico pessoal em que, para variar, o foco incidirá nas pessoas e não nas paisagens. Essas lá estarão, sim, mas quase sempre em segundo plano, cenário extraordinário de uma vivência ordinária - no melhor sentido da palavra. Viajar nos Açores pode ser uma indescritível experiência. As gentes que ali habitam têm corações grandes, curtidos pelo sal e pela neblina com que convivem desde sempre. Para quem queira, deambular nas ilhas será também um encontro. Não só com essa Natureza vagamente domada mas intrinsecamente selvagem, mas sobretudo com a essência humana, no seu melhor. Procurei, em imagens, cristalizá-la, algo tão efémero quanto concreto. Dir-me-ão, daqui a nove meses, se o consegui.

De Maio de 2015 a Janeiro de 2016 alimentarei esta página, diariamente, com imagens realizadas nas múltiplas viagens que aos picos da Atlântida fui fazendo, contando as pequenas grandes histórias das personagens que conheci, e que variarão ao sabor dos caminhos que fui trilhando: desde o lavrador ao cientista, do micaelense de sotaque cerrado à ucraniana de cabelo dourado, do artista plástico ao controlador aéreo, passando por tantos, tantos outros, igualmente ricos, igualmente enriquecedores!

Sem ter de forma alguma a pretensão de ser exaustivo, propus-me partilhar um vislumbre do panorama que, buscando, encontrei... E, digo-o desde já, cresci muito neste processo. Como fotógrafo. Como jornalista. Mas sobretudo como ser humano. Obrigado a todos os que comigo partilharam instantes do seu quotidiano. Sem eles este projecto não teria sido de todo possível. Bem hajam!


Um grande obrigado também às entidades que tornaram este projecto possível: à Nomad, como patrocinador, à National Geographic Portugal, como media partner e aos apoios da Autatlantis, Pousadas de Juventude dos Açores e Sata.

Sem comentários:

Publicar um comentário